14 de mar de 2012

O GABINETE DO DR. CALIGARI - DAS GABINET DES DR. CALIGARI (1920)

Durch Marcel Moreno


                      O período entre guerras que aconteceu por volta de 1918 ate 1939, que inicia com o fim da Primeira Guerra Mundial e a ascensão de Hitler ao governo alemão, deu inicio a um período artístico denominado Expressionismo alemão. Dentro as artes que mais sofreram influência deste grande movimento se destacam a pintura e o cinema. No cinema temos vários exemplos como NOSFERATU (1920) de Murnau, O GABINETE DO DR. CALIGARI (1920) de Wiene e, de acordo com algumas interpretações que são favoráveis ou não, temos METROPOLIS (1927) de Fritz Lang no grupo de filmes desta corrente. Os filmes desta época retrataram todos os sentimentos do povo alemão no termino da guerra, seja na maquiagem, no cenário ou no seu modo esquisito de andar, mostrando uma psicologia que agora figura, sobrepondo a imagem que outrora se mostrou poderosa e, de certa forma, arrogante.


                A trama inicia quando Francis conta a outro homem sobre o caso de alguns assassinatos que ocorreram em um vilarejo da Alemanha, que coincidiu com a chegada de um espetáculo do Dr. Caligari, que tinha em sua atração Cezare, um sonâmbulo que dorme por 25 anos e consegue prever o futuro. No decorrer dos acontecimentos das mortes misteriosas, a policia acaba desconfiando do Dr. e começam as investigações para descobrir a verdade. A trama é uma completa loucura que não vale ser dita aqui para que o telespectador não perca nenhum detalhe surpreendente que faz do filme um dos grandes sucessos do expressionismo alemão.

                
               As características que classificam o filme neste movimento artístico alemão vão alem da trama criada com o roteiro. O cenário é todo pintado e fabricado com materiais bem simples e com bastante destaque entre o preto e o branco, e bastante escuro, é que dão o toque sombrio, tenebroso, assustador e opressor ao ambiente; As maquiagens dos personagens geralmente rústicas e com destaque em preto para as dobras do corpo e para a área dos olhos, é que compõe o visual “zumbi” dos personagens; Dentre várias outras características que o classifica para este movimento, gostaria de ressaltar os modos grotescos que os personagens utilizam para caminhar, ressaltando ainda mais seu estado mórbido, revelando tendências para anormalidade dos sentimentos, um estado lastimável e sem rumo que a população alemã estava passando naquele momento. Foi neste mesmo filme que curiosamente Hitchcock se inspirou para fazer a famosa cena da faca no filme PSICOSE (1960), conforme foto abaixo.


                Contudo, a importância do filme para o mundo cinematográfico quando olhamos seu roteiro, é menos importante do que a forma como foi concebido, e isso não quer dizer que a trama criada tenha uma péssima qualidade, muito pelo contrário, a trama baseada em loucura é de extrema criatividade. Mas a forma como foi criado o filme ressaltou bem a situação do povo alemão e seu sentimento após ser derrotada na 1ª Guerra Mundial, a vinda das crises financeiras que devastou o país e a ascensão do partido nazista. Todo o mise em scène junto com o cenário vão colocar a nossa disposição as sensações que o povo estava vivendo aquela época como medo, angústia, descrença, sofrimento e errante. Em meio a tanto negativismo e baixa estima, e também descrença no próprio Estado, quantos não seriam, assim como Cezare, hipnotizados, cegos, para fazer a vontade de Um Outro ... nazista, nacionalista e totalitarista?

Título Original: Das Gabinet des Dr. Caligari
Título no Brasil: O Gabinete do Dr. Caligari
País: Alemanha
Ano: 1920
Diretor: Robert Wiene

Um comentário:

  1. Acredita que eu ainda não asssiti a esse filme? Está há bastante tempo na minha lista, junto com A felicidade não se compra, mas simplesmente não me sinto motivado a conferi-lo. Tentarei vê-lo, ainda esse ano.

    ResponderExcluir