23 de jan de 2012

EARTHLINGS – TERRÁQUEOS (2007)



Por Marcel Moreno

 “Enquanto existirem abatedouros
Existirão campos de guerra”.
Leon Tolstoi

                                                 De onde vem à carne que você come? Já parou para pensar nisso? E o leite que você bebe? Para onde vão os cachorros que vemos na rua? E o casaco de pele que você usa? Sabe como ele é produzido? E os cosméticos que você usa para te deixar mais atraente, você tem noção da feiura que é por trás da sua fabricação? Já parou para pensar o que faz um animal fazer o que não é da natureza dele? Estas e outras questões são mostradas neste documentário que aborda como nós, a espécie humana, tratamos a vida no nosso planeta. Por que achamos que só porque pensamos somos os senhores do mundo? E por que pensamos que as raças “inferiores” merecem menos espaço na terra do que nós? Isso nos dá o direito de sermos tiranos e torturarmos, espancarmos, tirarmos suas cabeças, deixarmos que agonizem até a morte em câmeras de gás ou degola-los, até que seu sangue jorre todo do seu corpo, até que não sobre nenhum suspiro de vida? Nós temos esse direito?

           Earthlings aborda os tratamentos que os animais recebem sendo “manuseados” apenas como objetos, ora quando são nossas companhias, ora quando dependemos deles para nos alimentarmos, para nos vestirmos, para vivermos. Porque o que muitos humanos pensantes se esquecem é que toda vida na terra depende da outra. Não vivemos sozinhos, não somos ao todo autônomos e não somos os donos da terra. Terráqueo é todo aquele que vive aqui e merece seu espaço, seu respeito. O nosso oxigênio por exemplo, por muito tempo acreditou-se ser fabricado na Amazônia, pulmão do mundo, mas esta ideia caiu por terra quando descobriram que são as algas dos oceanos que produzem a maior parte do oxigênio que precisamos, sem elas a espécie humana estaria fadada a morte. As árvores que consomem o gás carbônico que fica no ar, substancia esta que o homem despeja sem controle, existem com o auxilio de roedores e abelhas por exemplo, sem elas também estaríamos condenados a respirar ate a morte a um ar impróprio para os nosso pulmões.


         Se uma coisa é tão importantes como cuidar dos bichos e nós não damos o mínimo respeito a eles, eles por sua vez respeitam a terra como nenhum outro. Eles se adaptam e entendem instintivamente que a terra é o seu habitat, sua casa, que eles dependem dela, e por isso não a destroem, e detalhe, nós o tratamos como seres irracionais. Ao contrário dos homens que exercem o preconceito contra nacionalidade, raça, sexo, etc, os bichos não descriminam nenhuma outra raça. Matam por causa da cadeia alimentar. Nenhum leão mata uma zebra pela simples vontade de se entreter. Ele a respeita como bicho e ela o respeito como tal também. Ao contrário do homem, que tanto falou da lei da natureza e a guerra de todos contra todos, na natureza dos bichos não é assim que isso funciona. Eles só atacam para se alimentar ou para proteger seus filhotes e territórios, nunca por maldade, nunca por prazer, nunca por diversão, nunca para exercer seu poder sobre o mais fraco.

    Os bichos que suprem as nossas necessidades em vários aspectos, aspectos estes que garantem a nossa sobrevivência enquanto nós garantimos a nossa própria derrota, são os mesmos que nos favorecem em várias outras áreas. Economicamente, os bichos suprem nossa demanda por carne vermelha e branca. No campo da ciência, testes para fabricação de remédios e cosméticos, por exemplo, são feitos em bichos como cachorros, gatos ou coelhos. Uma das formas mais injustas são as formas de entretenimentos que envolvem tortura de animais, como tiros ao alvo, touradas, pesca esportiva, etc. Apesar de nós usarmos os bichos como meros objetos para suprir determinadas necessidades, eles buscam algumas coisas que nos buscamos. Eles também buscam ser respeitados, um lugar para viver, companhia.


          Quando a espécie humana aprenderá a ter respeito pelo próximo? A amar o próximo? A ter empatia pelo próximo mesmo que este não faça parte da mesma espécie? O homem ainda tem muito que aprender sobre respeitar a vida, quem diria, com os bichos. O homem dotado de um cérebro altamente desenvolvido e cheio de pensamentos, não é capaz de distinguir o que é vida do que não é, e respeita-la. Devemos também nos atentar não só aos maus tratos dos bichos, como também em como alguns homens – governos – tratam seus povos, seus súditos, seus marginais, suas nações. De fato ao longo da história presenciamos e vivenciamos milhares de massacres embasados no desejo individual, na busca pelo poder e na opressão com base no simples desejo de dominar. Olhando nossos passos até aqui, podemos perceber que se somos capazes de fazer isso com os animais, imagina o que somos capazes de fazer a nós mesmos? Não é mesmo Hitler?

Título original: Earthlings
Título no Brasil: Terráqueos
Ano de lançamento: 2007
País de origem: Estados Unidos
Diretor: Shaun Monson

3 comentários:

  1. Oi Marcel,

    Parabéns pela crítica! Vou procurar a indicação. Gosto muito de documentários e sempre que posso extrapolo os de Michael More.

    Lu
    http://lucianasantarita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente é um dos documentários mais tristes de ser assistido. Eu fiquei chocadíssimo com as cenas que eu vi e me senti mal em relação a isso.

    ResponderExcluir
  3. Deixando um link válido para o Documentário Terráqueos - http://www.2downloadz.com/5ew17usrwu

    ResponderExcluir