18 de set de 2012

ABRAHAM LINCOLN – CAÇADOR DE VAMPIROS (2012)




O universo das vidas noturnas que incluem os vampiros permeiam milhões de gerações e os imaginários das pessoas. Quem seriam de fato estes seres que não são humanos e nem bichos, imortais e que sugam sangue para se alimentar? Qualquer semelhança com algum ser que conheçamos como empresários, políticos ou corruptos pode ser mera coincidência. O fato é que por gerações servimos como alimento para um sistema que de alguma forma luta pela escravização dos outros homens.



                Abraham Lincoln, o futuro presidente dos Estados Unidos da America, começa a combater os Vampiros por conta de um acontecimento em sua família e especialmente pela busca por vingança. Com a ajuda de seu amigo, quem lhe ensinou tudo, Lincoln passa a ter uma vida dupla oscilando entre homem trabalhador e amante e assassino de vampiros. Sempre lutando pela igualdade e contra a escravidão, passa a combater uma outra espécie de sugadores de energia humana, os ricos sugadores escravistas do Sul. Tendo como arma a prata, Lincoln encabeça a Guerra da Secessão assinando leis de abolicionistas e combatendo todos os vampiros, sejam eles os sugadores de sangue ou sulistas interesseiros.


                Se para a fantasia os vampiros é um mal para a humanidade, os ricos do sul do Estados Unidos que apoiavam a escravidão eram um mal para o Estado e para a nação. Isso porque o Norte industrializado precisava de consumidores e já partilhavam de outro sistema. E manter seres humanos como propriedade privada o transforma em seres da escuridão. Toda a insanidade de Seth de recriar Lincoln como um caçador de vampiros, transformou a historia em algo fantástico e revelando por trás da fantasia, a verdadeira guerra que existiu. Os vivos contra os mortos que dependiam de energia humana para sobreviver, ou o que mais são os que apoiam a escravidão? Seja ela qual for, vivo está o que mantêm acesa a chama da gana por liberdade, e morto é aquele que vive às custa do roubo da vida alheia.


                Todos os efeitos do filme e o cenário, mesmo de dia, um pouco obscuro, nos faz sentir como era a sensação de viver no Estado Americano em tempos de guerra civil. Se o fato de vampirismo não ser nada novo, a montagem das cenas ficaram excepcionais, quase como se o filme tivesse sido gravado por personagens de verdade e sem cortes. Desta forma foi contado umas das histórias mais importantes e dolorosas da história dos Estados Unidos, quando políticos ainda agiam pela igualdade e não por interesses capitalistas e egoístas.


                Essa drama histórico que marcou um país, misturado com a fantasia, feito com muito talento quando igualou os vampiros aos sugadores de energia escrava. Se para muitos esse foi um grande erro, para conhecedores da história a comparação soou quase que como uma coisa só. Se não são vampiras estas pessoas, são o que? Lincoln lutou por esta liberdade até outros introduziram o capitalismo. Se agora vivemos em mundo "democrático, igualitário, que respeita a todos como iguais e sem interesse", quem está a sugar nosso sangue? Não ouso culpar ninguém se não a nós mesmos que não combatemos nossos vampiros e os deixamos viverem como parasitas nos nossos poderes.

Título original: Abraham Lincoln: Vampire Hunter
Título no Brasil: Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros
Ano de lançamento: 2012
País de origem: Estado Unidos da America
Diretor: Timur Bekmambetov

Nenhum comentário:

Postar um comentário