21 de dez de 2011

TRABALHO INTERNO - INSIDE JOB (2010)





Por Marcel Moreno

PS: Sugiro que leiam este texto escutando Summer Overture - Mozart
Link: http://www.youtube.com/watch?v=nvc3wIcBVRg&list=PL577B983C81123C42&index=13&feature=plpp_video


            Foram muitos os filmes que retrataram na forma da 7ª arte, uma das maiores crises - se não a maior - dos Estados Unidos e do mundo, como por exemplo CAPITALISMO UMA HISTÓRIA DE AMOR (2009) feito por Michael Moore. Este documentário por sua vez, vai um pouco mais a fundo no assunto, nos dando um parâmetro mais palpável do que foi a crise, seus caminhos, suas consequências, e por ter sido feito em 2010, dois anos após a crise, podemos saber o que aconteceu com as pessoas que foram importantíssimas para o inicio, o desenrolar e o desfecho, se é que tivemos um desfecho, da crise. Este trabalho dividido em 5 partes explica de forma simples a complexa crise que detonou a economia americana, levando com ela vários outros países desenvolvidos, e influenciou os mercados mundiais.
                O inicio dos fatos que geraram a crise não é nenhuma novidade para qualquer cidadão que viva neste planeta - mesmo que esteja presente de corpo e orbitando de alma - porque certamente você já ouviu algo sobre o assunto. O grande boom imobiliário nos EUA, que por conta da grande procura pela compra de casas e consequentemente o aumento do aumento da oferta em relação a procura, gerou uma bolha que, cedo ou tarde, iria estourar arrastando multidões como um grande tsunami. Este evento econômico que pareceu até um evento da natureza, tirou a liquidez do mercado, destruindo grandes bancos e corporações seguradoras, como a AIG. Diferente do trabalho de Michael Moore, este documentário explica de forma clara o que seriam os Swaps de Crédito, artifício utilizado pro este empresa para? Como sempre em uma sociedade que tem como valores os fundamentos capitalistas.


                Com o desregulamento das leis que envolvem bancos e a ideologia do livre mercado, a maioria das ações foram desregulamentadas, e mesmo com a tentativas de  pessoas como Brookslay Born, a primeira mulher que em 1998 propôs uma revisão de lei para restabelecer as regulamentações, foi impedida de fazer por forças ocultas de Wall Street. Com isso tanto as ações, os bancos, os mercados e principalmente os derivativos,  incluindo os Subprime, um mercado de $ 15 trilhões de dólares, ficaram a mercê das suas próprias vontades. Um dado importantíssimo do documentário é que com a desregulamentação, uma lei chamada de Glass-Stealgal, criada após a grande depressão de 1929, que consistia em proibir os bancos de investirem dinheiro de clientes em operações de risco, pudesse ser extinta, dando lugar a outra chamada Gramm-leach-Bliley Act, dando total liberdade para grupos como o novato City Group agirem como quiserem.

                Com a chegada efetiva da crise, milhões de pessoas deixaram de pagar suas hipotecas. Como o mercado imobiliário estava desaquecido, e com valorizações negativas, muitas pessoas não conseguiram lucrar com a as especulações dentro deste setor, o que ocasionou em um insolvência dos bancos comuns e de investimentos. A liquidez do mercado americano, e do mundo, chegou a níveis baixíssimos, e sem confiança, nunca iríamos recuperar o que foi investido, a não ser que nós mesmo pagássemos pelos títulos com o dinheiro dos tesouro nacional, que outrora o governo americano utilizou para estatizar bancos privados e salvar milionários da falência.

                O saldo da crise para a humanidade foi péssimo, mas para os grandes executivos nem tanto, mesmo porque eles alem de não perderam patrimônio, alguns deles, após descoberto as "irresponsabilidades", não foram punidos ou desligados das empresas, sendo permitido a eles que se exonerassem dos cargos recebendo suas partes de indenizações que alcançavam a casa dos milhões de dólares.

                O fato é que desde 1980 a economia americana vem se deteriorando com o tempo; A desigualdade aumentou significantemente, ao passo que a educação quase que dobrou de valor, enquanto que os investimentos do governo diminuíram; A base da produção industrial dos EUA foi terceirizada - destruída - e transferida para países com mão de obra barata para maximizar os lucros; Os ricos agora pagam menos impostos e os pobres é quem repõem o saldo negativo da balança de pagamentos (sem falar no mundo, que paga por todas as mazelas dos norte americanos, fato não abordado no documentário, que abriria margem para uma discussão ainda maior sobre a real influência positiva dos EUA no mundo, sua responsabilidade e suas políticas).


                por fim este documentário nos fornece informações muito importantes sobre o uma possível destruição do mundo por conta da crise. As belas imagens de bairros americanos mostra um país que outrora invejado, venerado, moldado, emulado, e que agora se encontra destruído, desunido. Basta agora a eles pensarem o que querem construir como nação. Buscar no âmago americano seus valores, seus ideais. Agora é a hora de deixar um pouco o capitalismo de lado e buscar o bem estar social. Uma sociedade não é formada somente por governo e bolsa de valores. Um país é formado por gente!

Título Original: Inside Job
Título no Brasil: Trabalho Interno
Ano de Lançamento: 2010
Direção: Charles Ferguson


Nenhum comentário:

Postar um comentário